28 janeiro 2016

E eu queria so você...


Ontem tinha você na minha cozinha. Hoje tem a cozinha, mas não tem você. Eu não quero pratos, nem cadeiras, nem o calor do forno. Eu quero o cheiro bom que vem do seu pescoço e a sua mão no meu cabelo molhado. Eu quero nós dois sem jeito e sem graça em uma segunda-feira qualquer precisando urgentemente de uma forma quase desesperadora sentir mais um pouco da energia um do outro. Quero o teu silêncio que diz tudo contrastando com o meu nervosismo que não cala a boca nunca. Eu quero essa nossa cara de incompreensão diante do que a Vida colocou no nosso caminho e quero você na porta da minha casa umas 300 vezes até o final desse ano, pelo menos.
Não vou lavar a taça de vinho. Muito menos deixar que alguém sente na sua cadeira. Cê tava agitado e nervoso ontem, e eu queria muito te botar no colo. Faltou muito pouco pra eu pedir com todas as letras: "Fica?" Fica na minha casa, fica um pouquinho mais na minha vida, fica paradinho sem se mexer em um porta-retrato do lado da minha cama? Fica deitado no meu ombro e me faz ser porto-seguro outra vez? Mas se não der pra ficar... promete que volta?
Eu juro que eu não faço ideia de qual é a minha melhor versão disso tudo. Mas uma coisa eu sei: todas elas incluem você.
(Nati Vicentini)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo