30 maio 2017

Então Você Quer Ser Escritor? - Relatos da Carreira


Oii meus leitores, tudo bom? Esse post faz parte de uma coluna aqui no blog chamada "Então você quer ser escritor?" Para quem não acompanha o blog desde o inicio, o Dose de Poesia surgiu quando publiquei meu primeiro livro pela Andross Editora e a intenção era ajudar outras pessoas a realizarem o sonho de terem finalmente seu livro impresso. 
Nesse post fala sobre o lançamento da primeira antologia que participei. 
Parei um pouco com essa coluna mas pretendo retorna-la aos poucos, então se você tem duvidas sobre a carreira deixe suas perguntas aqui nos comentários. 
No dia 1 desse mês foi comemorado o dia do trabalhador, ser escritor também é uma profissão, apesar de ser bastante desvalorizada no mercado brasileiro, decidir convidar alguns autores para contar como foi a trajetória na carreira literária.


Nick Farewell 


Como eu cheguei até aqui...
Cheguei até aqui seguindo os caminhos tortuosos que foram uma reta no fim das contas. Comecei estudando engenharia e me formando em publicidade e propaganda. Fui professor, executivo de multinacional, redator publicitário e por fim, escritor e escrevente de derivados. Este ano faz 10 anos que o meu primeiro romance GO foi publicado. O livro foi escolhido pelo MEC para estar nas bibliotecas dos colégios e foi a grande guinada da minha vida. O sucesso e as tatuagens do título me levaram aos lugares que nunca pensei que pudesse estar. Eu continuo escrevendo e buscando sempre apenas uma coisa: Vida. Escrever para mim é perseguir a vida. Incessante e obstinadamente. A minha jornada é o próprio caminho da procura, busca. Para onde vou, não importa. Importa que eu vou. Onde a vida estiver.

Diana Scarpine



Ser escritora 
            Comecei a escrever aos treze anos de idade, porque gostava das aulas de redação do colégio e não me sentia representada nos livros que eu lia. Nessa época, eu não pensava em publicar: escrevia para eu mesma ler. Dezessete anos depois, em 2012, publiquei o  meu primeiro romance: “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso”. Meu segundo romance, “Uma Chance para Recomeçar”, foi publicado em 2016 pela Editora Pandorga. Ambos fazem parte de meu projeto literário que consiste em abordar as várias facetas do preconceito (principalmente em relação à deficiência) e têm sido muito bem recebidos pelo público, o que me deixa muito feliz e reforça meu amor pela literatura. Para mim, escrever é, ao mesmo tempo, um trabalho apaixonante e laborioso. É apaixonante, pois a matéria de trabalho do (a) escritor (a) é a imaginação. É laborioso; porque, para que a história seja interessante e conquiste os (as) leitores (as), a imaginação precisa ser lapidada, aperfeiçoada. Esse aperfeiçoamento envolve um intenso trabalho com as palavras  e também, a meu ver, uma boa dose de crítica social para que possamos proporcionar aos (às) leitores(as) não apenas diversão, mas também momentos de reflexão. 

Jim Carbonera 

Tudo começou em meados de 2009 quando li o livro Factótum do escritor Charles Bukowski. Era uma narrativa tão simples, mas ao mesmo tempo tão intensa e tão honesta, que me deu o famoso "click". Foi como se o portões das revelações tivessem sido abertos para mim.

Me fez perceber que a literatura poderia ir muito além do formal, da "terceira pessoa", do conceito empolado de escrever e falar.  
Pensei comigo: "Eu tenho algumas histórias, e sei de tantas outras, poderia tentar escrevê-las".
A literatura de Bukowski, assim como a de Jack Kerouac, me despertaram para esse novo mundo. Uma mostra de que na simplicidade também há genialidade.
A partir daí, criei um blog e comecei a praticar. Conforme aperfeiçoava minha escrita e elogios eram feitos, comecei a pensar em compilar os contos do blog e transformá-los num livro.
Porém, foi a partir do autor Pedro Juan Gutiérrez, que decidi, definitivamente, em escrever meu primeiro livro: Divina Sujeira.
Pedro Juan é, para mim, um herói. Através dele consegui dar vida a minha narrativa. Deixá-la com mais cara de literatura e livrar-me de qualquer grilhão ou amarra que eu pudesse ter em termos de censura. Meu texto se transformou em algo livre, despudorado. Costumo dizer que se tornou um strip-tease ao leitor.
Para encurtar a história, me baseei nos contos do blog para criar o aspirante a escritor Rino Caldarola, que é o protagonista e narrador da trilogia urbana "Rino".
Os livros contam a busca dele por inspiração para escrever seu primeiro romance em meio a boêmia e a sociedade porto-alegrense e suas aventuras e desaventuras pela capital gaúcha. Tudo narrado de forma objetiva e feroz.
Agora estou deixando um pouco o gênero Realismo Urbano de lado e me concentrando num outro tema do qual eu gosto muito: Thriller Psicológico. Sempre me interessei mais pela parte obscura e tenebrosa dos indivíduos, pois é nela que se revela o ser humano que tanto desejamos esconder. Assim, quero ver se adentrando neste novo universo, posso explorar ainda mais esse mundo do qual aprecio tanto.  



Carla Azevedo 

Tudo começou aos 4 anos, meu pai lia historias da turma da Mônica antes de dormir, me apaixonei pela escrita muito nova, mesmo sem saber ler direito minha mãe fazia questão de sempre pegar livros na biblioteca e me presentear com exemplares sempre que possível, lembro que o primeiro livro que ganhei foi a coleção de Harry Potter, eu já era fã do bruxo ao ver os filmes, e ao ler sobre o incrível mundo criado pela J K me apaixonei ainda mais pela escrita. Desde cedo eu já sabia o que queria ser: Escritora, não importa qual idade me perguntasse isso, a resposta continuava a mesma. Foi somente após ler o livro GO de Nick Farewell que pensei em tirar esse sonho do papel, eu me apaixonei pelo personagem e a partir dai comecei a pesquisar diversas editoras, quase todas cobrava um valor altíssimo para a publicação, algo que no momento eu não poderia pagar, mas foi ai que encontrei a Andross Editora, mandei alguns poemas, descrente que seriam aceitos, quando recebi a confirmação não aguentei de tanta felicidade, meu sonho finalmente estaria se realizando.  O lançamento foi na cidade de São Paulo em 2013 e foi um dos melhores dias da minha vida. Publiquei 4 vezes pela Andross (os livros se encontram na aba sobre) e em breve pretendo publicar o meu primeiro livro solo. Serei eternamente grata ao Edson Rossatto (escritor e dono da Andross) por ter abertos as portas do mundo literário.



8 comentários:

  1. Eu li GO, do Nick, na escola e foi um dos livros que mudou minha vida. O reli esse ano e me apaixonei novamente. A escrita do Jim é muito envolvente. Quando você menos percebe, já está vivendo em Porto Alegre com Rino.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tambem li GO no colegio, adoro os livros de Nick. Estou lendo o livro Verme do Jim e estou adorando, tem razão, a escrita é totalmente envolvente

      Excluir
  2. Adorei o post, Carla! É muito interessante saber como outros (as) escritores(as) iniciaram seu processo de escrita.

    Abraço,
    Diana Scarpine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela participação Diana <3

      Excluir
  3. Boa tarde!

    Adorei o post, com os relatos e muito bem escrito! Espero pelos próximos!!! <3 achei o layout do blog suuuper fofo e com a cara do tipo de conteúdo que vc quer passar. Desde que me foi incentivada a leitura eu sempre escrevi muito, e durante meu ensino fundamental e médio, escrevi várias histórias curtas e grandes, que sempre tive vontade de publicar. Sobre sugestão para os próximos posts... adoraria algo tipo ''como começar'' estou lendo os outros posts dessa coluna que já amei, se você for montar uma newsletter dela pode colocar meu email que adorarei ler tudo que for postado sobre esse assunto, meu email é luhe.rizzo@gmail.com
    Estava precisando de esperança hoje e seu post me ajudou, obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Luiza, fico muito feliz que tenha gostado. O blog dose de poesia surgiu para ajudar outras pessoas a realizarem o sonho de serem escritoras, mas por conta da correria do meu dia a dia acabei deixando de lado por um momento essa coluna no blog. mas pretendo retorna-la aos poucos.
      o próximo post será exatamente sobre isso "como publicar seu primeiro livro" te mandei um email, sempre que tiver duvidas ou sugestões pode me avisar <3
      muito obrigada por todo o carinho

      Excluir
  4. Adorei o post! É triste que diversos autores nacionais não recebem tanto reconhecimento quanto merecem, inclusive de diversas editoras que fecham as portas para muitos desses autores. É importante esse tipo de postagem, tanto para os autores quanto para os leitores conhecerem.
    Sucesso pra vocês e parabéns por ter essa coluna aqui no blog, Carla <3

    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. infelizmente é assim, as editoras não valorizam os autores nacionais, isso acontece na maioria das vezes
      muito obrigada Laís

      Excluir

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo