02 agosto 2015

Resenha #2: O Doador de Memórias


"Uma vida sem cor, sem dor, sem passado.” - O Doador de Memórias

Lançado nos Estados Unidos em 1993,The Giver chamou a atenção de várias pessoas por explorar um gênero tão pouco conhecido na época. Lois Lowry merece mais um prêmio por conseguir criar um mundo em que os sentimentos e tudo que os causa serem reprimidos, mal vistos ou pouco conhecido!


Nome: The Giver/O Doador de Memórias
Autor(a): Lois Lowry
Publicado no Brasil pela Arqueiro

Sinopse: O Doador de Memórias se passa em um lugar onde uma pequena civilização pacata, ordenada e estável vive somente o agora, desconhecendo o passado e tampouco o futuro: com exceção de uma pessoa que é encarregado de armazenar em si todos os acontecimentos que um dia já ocorreram. Este é o Doador.

Okay, vamos começar! A história foca, especificamente, em Jonas, que está preste a se tornar um "12" e a passar por um ritual que determinará sua atribuição/profissão - sim, as pessoas desta pequena 'comunidade perfeita' não tem o direito de escolher nem o que elas farão com suas vidas -. Só que algo incomum ocorre na cerimônia: Ele se torna o ultimo a ser chamado e, ainda por cima, recebe uma atribuição que nunca ouviu falar, que é a do Recebedor de Memórias.

Ele recebe a atribuição com receio, com medo do desconhecido e curiosidade de saber o por que sua  atribuição não é muito conhecida, porém é temida.

Após o encerramento da cerimônia, todos seguem de volta para suas casas e os doze levam consigo uma pasta que contém instruções de suas respectivas atribuições, e algo que Jonas estranha é que enquanto os outros recebem pastas carregadas, a dele além de conter pouca coisa ainda possui uma instrução/regra incomum: A permissão para mentir. E a partir deste momento que o livro começa a ficar realmente interessante. E se tudo for uma mentira?

Depois disto seguimos para o dia a dia de Jonas como Recebedor com o Doador - um ancião que selecionou o garoto para se tornar seu sucessor. Mas o mais interessante destes momentos dos dois é que o Doador não conta as histórias para que Jonas as ouça e as grave, ele faz com que o jovem as viva e as sinta por completo, sento elas memórias alegre, tristes, de tempos de guerra ou fome.

Vivendo memórias de momentos prazerosos como um dia de lazer a luz do sol ou brincadeiras realizadas num dia de neve, coisas que não ocorre na atual civilização pois o Conselho acha que mudar os fatores climáticos irá prejudicar a colheita - e sim, o tempo é controlado - ou momentos de sofrimento, como a guerra ou a fome, Jonas começa a acordar em relação a sua atual sociedade e pensar como tudo nela é mentiroso.

E o enredo de O Doador de Memórias é praticamente isto! Se eu falar mais coisas, vou começar uma chuva de spoilers q'. Mas, vamos a algumas considerações. Arqueiro, quem lhe disse que capa de filme seduz alguém? Demite imediatamente esse ser! Sério, o gênero abortado no livro já não cativa muito pelo fato de hoje em dia ser cansativo e 'reciclável', ainda colocam a capa do filme... Que injustiça! Admito que quando comprei esse livro, demorei umas boas semanas o encarando na minha prateleira. É, eu julgo um livro pela capa sim, sociedade!

Mas fico feliz por superar meu preconceito com o livro e lê-lo, pois é simplesmente fantástico - e virou um dos meus favoritos da vida que ninguém toca - ! A leitura flui muito bem e em poucas paginas você já se habitua com o mundo ali apresentado. Agora, uma das coisas que eu fiquei um pouco revoltada foi com os curtos capítulos. Eu li o livro em um dia, mas não me importaria se a Lois desse uma de George R. R. Martin e escrevesse capítulos mais recheados, pois acredite, ela deve muitas oportunidades para fazer isto.

Agora, para quem se interessar, veja o filme também! Mas depois de ler o livro. Por que? Fui no lançamento com duas amigas e para vocês derem uma noção somente eu entende por completo a historia, em várias partes do filme tive que explicar a uma ou a outra coisas que o filme deixou bastante vago - coisa já esperada de adaptações.

Então foi isto, espero que você tenha gostado da minha resenha sobre O Doador de Memórias. Ah! Ele faz parte de uma saga, porém eu só li este por que... A pobreza e o esquecimento domina q - a saga A seleção que o diga, até hoje espera para ser completada.

Beijos da Livy ♥


2 comentários:

  1. Sempre quis ler esse livro, desde quando o filme foi lançado, mas como o esquecimento reina, também esqueci de comprá-lo! Mas já está marcadinho aqui na wishlist pra na próxima, não esquecer. Fiquei empolgada pra ler, mas realmente, essa capa é bem cafoninha heim? Hahahaha!

    Beijos,
    http://daniperere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei! Mas prefiro ler o livro antes de ver o filme mesmo. Porque se não vai acontecer a mesma coisa que aconteceu quando eu fui ver o primeiro filme de Jogos Vorazes, se eu não tivesse ido com a minha amiga que leu o livro, eu iria ficar completamente perdida e sem entender.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo