27 julho 2017

Projeto Escrevendo Sem Medo: O que há de errado com a humanidade?


Pela terceira vez no mês eu me atrasei, pontualidade não era uma palavra muito recorrente na minha rotina, roteirista e empresaria era dificil chegar sempre na hora certa, apesar do meu trabalho depender disso. Liguei para a Manuela e avisei que me atrasaria para os compromissos que teria pela manhã. O carro estava na manutenção , mas como o estúdio é cerca de meia hora a pé, decidir ir andando.
Peguei o casaco no cabide e olhei a previsão na tela do celular, 15 c°. Amo esse tempo frio. 
peguei o elevador e dei bom dia ao porteiro, e passei numa cafeteira que ficava ao lado do meu predio. Comprei um cappuchino e um bolinho de queijo, me sentei por alguns segundo e o celular vibrou no meu bolso. Era o Renato, estranhei a mensagem aquele horário, ele estava viajando a trabalho e o fuso horário onde encontrava-se, ainda era de madrugada. Ao ler as primeiras paginas da mensagem, meu corpo todo estremeceu, minhas mãos estavam tremendo, eu não estava acreditando no conteúdo da mesma.

"Isa, desculpas falar isso por mensagem, sei que não é nobre da minha parte, mas não da mais. Não consigo mais viver dessa forma, pra mim nosso relacionamento acabou"

Um sms curto mas fez meu mundo virar de cabeça para baixo. Tentei conter as lagrimas que teimavam em cair, a tristeza era mais pela quebra de rotina do que o terminio, era fato, eu não amava o Renato, mas terminar assim. não era justo com ambas as partes.
paguei o café e sai sem pressa. Decidir passar pelo parque, era o caminho mais longo, porém estava precisando colocar a cabeça em ordem. Fazia mais de meses que eu não vinha aqui, era tão próximo a minha casa, mas ultimamente faltava tempo, minha rotina era acordar cedo, ir para a academia, ir correndo ao trabalho, depois as aulas do mestrado, francês aos sábado e levava um pouco de trabalho pra casa aos domingos. Essa era minha rotina, não sobrava tempo para cuidar de mim.
Sentada em um dos bancos encontrei uma antiga amiga da faculdade que não via a alguns anos. Sentei ao seu lado e conversamos por algum tempo, seu sorriso era tão singelo, o seu olhar tinha um brilho tão grande. Ela me contou que havia se casado e estava esperando seu segundo filho.
O problema do ser humano ultimamente, é não darem valor as coisas reais, estamos tão acostumados a ter uma vida virtual, amigos virtuais, amores reais que nos esquecemos das pessoas que sempre estiveram do nosso lado.



6 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Te indiquei em uma tag lá no meu blog: https://coracoesjovens.wordpress.com/2017/07/27/tag-versatile-blogger-award/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito obrigada <3
      fiquei muito feliz

      Excluir
  2. Amiga, concordo com você. As pessoas estão se distanciando uma das outras se prendem mais as máquinas e esquecem o lado afetivo, o companheirismo, o toque... Mais ou menos isso.Tenha uma noite de paz. Abraços da amiga Lourdes Duarte

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo a reflexão, amei.
    Bjs, você arrasa!

    www.jayhanadenardi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo