18 junho 2017

Conto: Transcender a superfície dos seres - Carla Azevedo


Eu toquei a superfície da água, sem deixar meu dedo transpor a barreira do liquido azul, olhei o horizonte e me perdi em devaneios. Deixei as lágrimas caírem lentamente, era sempre ali, naquele cais onde costumávamos nos encontrar. O vento acariciava minhas madeixas negras, fazendo-as dançar com a brisa. Dei um sorriso ao lembrar dos nossos momentos juntos, do teu sorriso, do seu cheiro de malbec, das tuas sardas, tuas covinhas.
 Depois que ultrapassei sua superfície puder realmente conhecer a pessoa que se escondia por trás daquele olhar que sempre parecia triste. Pude conhecer tuas manias, teus costumes, tuas paranoias e principalmente pude conhecer aquele homem que se mostrava apenas para aquelas pessoas fortes e determinadas que tinham força e coragem para transcender sua superfície e descobri-lo por completo 
Baixos soluços vieram para acompanhar as lagrimas que caiam sem trégua, limpei o rosto com a manga do suéter e continuei fitando o horizonte. 
O Bernardo havia morrido havia uma semana, tomado por um câncer de medula, ainda nos últimos minutos de vida era o homem que sempre foi, sorria e fazia piadas bobas.
Depois da sua ida percebi que conhecemos tão pouco das pessoas ao nosso redor, seja dos nossos amigos, familiares ou colegas, parece que só conhecemos sua superfície, aquilo que querem mostrar para a sociedade mas não quem são de verdade.
Até mesmo eu sou assim, durante meus 20 anos, milhares de pessoas entraram e saíram da minha vida, algumas permaneceram até hoje, mas somente uma pequena parcela delas conseguiram tocar através da superfície do meu ser e conhecer quem verdadeiramente sou. Poucas pessoas tiveram a curiosidade ou a coragem de transcender a superfície do meu ser... Poucas...


3 comentários:

  1. Nossa, que lindo, Carla! Amei! Me lembrou umas passagens do "Às margens do Rio Piedra sentei e chorei", que li recentemente! Posta lá! Tô compartilhando na página do livro! 💐

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu ainda não li esse livro, mas vi resenhas incriveis, já coloquei na minha lista de leituras <3
      Obrigada Val <3

      Excluir
  2. Gostei imenso do texto! E concordo: existem poucas pessoas que se atrevem a conhecermos para além da nossa superfície. Cada vez mais que nunca.

    Beijo

    ResponderExcluir

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo